18 de ago de 2011

Um dia (parte 2)

                                                                     imagem: weheartit


O coração que ama jorra sangue perfumado.
E um dia você saberá que é verdade.
Um dia.

Um dia, você sentirá a água vermelha escorrer.
Talvez não perceba de imediato a sua existência,
Mas é só questão de tempo.

Tempo que o amor não vive sem,
Muito menos aquele sem este.
Nem eu sem eles.

Um dia, a venda dos olhos do seu coração
Será retirada pelas mãos da necessidade.

Um dia, o aparente nada do seu eu
Mostrará o tudo que sempre foi.

Um dia, o "um" será "o".

Um dia, a felicidade febril
Será o calor vital que derreterá sua geleira inteira.

Um dia, não haverá espaço para o vazio completo.
Tudo um dia será cheio
E o que não mudou não terá mais chance de ser.

Um dia, não mais será.
O ser será o que não foi.


by Rachel Nunes*

6 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Rachel
Um dia chegará o momento de real ser esta tua poesia tão linda

Maya Quaresma disse...

"Um dia, a venda dos olhos do seu coração
Será retirada pelas mãos da necessidade".

E essa frase já me basta.

Querida, obrigada por teu comentário no SLL. Lindo demais aquilo. Que as pétalas das flores do amor de lá, exalem perfumes aqui também! =)

Beijos em teu coração lindo e doce!

Maya Quaresma

BulldOgro disse...

Sabe Deus...

Danilo MM disse...

"Um dia" é o hoje revestido de sonhos.

z i r i s disse...

Ah Rachel, doeu. Perdoa, mas não consigo pensar algo muito lindo e a sua altura para escrever.

O espectro do que poderia ter sido e não foi, devorou minhas palavras...


E eu que não te seguia, que desligada eu.

Um beijo

Van disse...

Nossa Raquel, que lindo!

As necessidades desvendam muitos corações cegos.

Beijos!