17 de nov de 2012

Quão distante?

imagem: weheartit


(Vidro quebrado)
Na janela de madeira descascada,
Eu vejo longe o perto de mim.
Na lâmpada queimada,
Contemplo o que abandonei no fim –
Copo meio cheio e vazio por inteiro.

(Fogueira apagada)
Fora da casa, na praia cintila:
O fogo da razão,
O frio agoniante da imensidão.

(A porta cai)
Do nada.
De repente, o tudo.
Toda a confusão que a calma leva consigo.

(Saiu da janela)
E agora, onde está?
Tão perto do sim
Ou tão longe de si?


by Rachel Nunes*

3 comentários:

SEARAS DO SILÊNCIO disse...

ADOREI!! encantado tua poesia!!

abraços

Maya Quaresma disse...

Sentia falta dos teus textos, que atingem fundo a alma.

Fernanda Fraga disse...

O que ficar é o que te fará seu maior bem.

Beijo