13 de jul de 2012

Das certezas

imagem: weheartit


Parece até que o impossível pode mudar.
Parece até que o abismo é o mesmo lugar:
Uma areia molhada, dois pés que afundam.

Parece até que a brisa nunca morre.
Que a chuva é a contínua sorte.

Parece até que a carne é sincera.
Que a primavera nunca congela.

Parece até que a ventania é distante.
Que a vida não passa de um caminho errante.

Parece até que a estrada é deserta.
Que a saída é uma porta aberta.



Tudo parece muito certo, limpo e fácil,
Quando quem abre os olhos é o tão conhecido, o hábil,
O mais perfeito, o estranho,
O doce mar, o desengano.


by Rachel Nunes*

3 comentários:

Maya Quaresma disse...

Perfeito!

Eu poderia dizer que tudo isso parece assim, quando também se ama.

Danilo MM disse...

É que acabamos indo além das aparências.

Graça Pereira disse...

Um poema lindo...apontando um caminho que desemboca quase sempre...no desengano!
Beijocas
Graça